sábado, 17 de julho de 2010

...



Tudo é tão estranho pra mim.
A tristeza que me domina não parece ser a mesma que domina outras pessoas, pensei que eu fosse fraca, mas parece que não.
Será que eles são fracos ou egoístas? Confusos talvez.
É como um fogo que arde na pele, é a voz que some, é uma inquieta manifestação de raiva e frustração, pena do próximo e rancor.
Esse egoísmo incontrolável, será que eles não sabem que outros dependem deles pra viver?
Não existe força maior que a sua própria.
Eu que me achava tão boba, tão atrapalhada e frágil, já não vejo mais assim.
Eles atiram suas vidas pelas rachaduras, pelos becos frios e escuros.
Tudo parece tão bem e estável. Mas eles ainda sim acham motivos para perder a pouca esperança.
Onde está o amor?
Onde está o respeito?
Onde está sua mente?
Onde está você?
Eles se entregam, vestem a farda da derrota e simplesmente desistem.
Nada é fácil nessa vida confusa, nessa convivência em sociedade cheia de diferenças e problemas.
Consigo odiar quem não valoriza os instantes, quem não respeita o amor do próximo. Odeio o egoísta que só pensa no fim e nas coisas ruins, se esquece de tantas coisas boas e importantes, de tantas pessoas boas e leais.
Nem todos podem ser perdoados, nem todos podem ser amados, não podemos ser todos os vencedores de um prêmio, porque a maioria ambiciona o mesmo futuro.
Inveja, ambição, medo, ira, traição. Ninguém é imune.
Eles perdem tempo tendo pena de si mesmos, querendo chamar a atenção dos demais para a vida triste deles. E a minha? E a nossa?
Todos temos nossas cruzes para carregar, todos temos um paraíso a conquistar. A vida não é só flores e não é só escuridão. Existe um meio termo em tudo.
Desperdiçamos tanto.
Eles não assumem, não querem aprender.
Eles precisam acordar antes que seja tarde demais.
O mundo tem coisas complicadas demais, para perder tempo tentando compreender quem não merece a compreensão.
Não podemos exigir do mundo e do próximo uma atenção que não pode ser dada, não podemos perder a esperança e nem ser pessimistas.
Á vida não é só isso, e o que vier a mais sempre é vantagem.
Estamos sempre aprendendo.
Vamos valorizar.

Um comentário:

Profª Thaiza disse...

Olá querida!
Como estão as coisas?!
Bjos, saudades...